Postado em:
17 out, 2011

Obesidade, o mal do século 21!

Recebi esse material hoje  por email e achei interessante publicar mesmo sem entrar dentro do foco do site.

Apesar das causas da obesidade serem diversas origens, as principais são genéticas e ambientais. O aumento do sedentarismo associada aos atuais hábitos alimentares com excesso de gorduras e carnes, e com pouca ou nenhuma fibra, são os principais responsáveis pelo elevado índice de obesidade e pelo próprio ritmo desenfreado da vida atualmente.

 

bobs 255x300 Obesidade, o mal do século Uma pessoa com excesso de peso diminui consideravelmente a sua qualidade de vida à medida que os quilos aumentam. O que está em causa é muito mais do que um padrão de beleza, pois a obesidade arrasta consigo muitas conseqüências para a saúde física e psicológica. Estudos indicam que 70% dos obesos desenvolvem pelo menos uma das doenças relacionadas com o peso excessivo.
Uma pessoa é considerada obesa quando apresenta 20% ou mais acima do peso máximo estimado para a sua altura.

Num tempo em que as formas esguias e os músculos esculpidos constituem um avassalador padrão de beleza, o excesso de peso e a obesidade transformaram-se na grande epidemia do planeta. Nos Estados Unidos, nada menos de 97 milhões de pessoas (35% da população) estão acima do peso normal. E, destas, 39 milhões (14% da população) pertencem à categoria dos obesos. O problema de forma alguma se restringe aos países ricos.

A prevenção da obesidade é relativamente simples e consiste em equilibrar a ingestão calórica com o gasto de energia, através de dieta e exercícios físicos.

Quem se identificou com esse quadro, deve buscar ajuda profissional tanto para a prescrição de uma dieta correta quanto para a prescrição adequada dos exercícios a serem praticados.

A estratégia para a prescrição de exercícios físicos requer o conhecimento dos efeitos da duração, intensidade, massa muscular envolvida, além da composição corporal e do gasto energético provocado pelos exercícios propostos. Vale lembrar que é muito importante a associação de exercícios com dieta adequadamente orientada.

O gasto calórico durante as atividades físicas varia com a intensidade e duração do esforço e do peso do indivíduo, entre outros fatores. Pessoas mais pesadas gastam mais calorias do que as pessoas leves para realizar um mesmo exercício.

A recomendação para o controle do peso é de três sessões por semana que represente pelo menos 1000 Kcal/semana com atividades moderadas.

Na prescrição de exercícios para o controle da gordura corporal, sempre se deve considerar as quatro variáveis básicas dos exercícios aeróbios: freqüência, intensidade, duração e tipo. Preferencialmente, o foco inicial deve ser realização de exercícios aeróbios, que ajudam na perda de “massa gorda”.

Pessoas sedentárias não são capazes de realizar exercícios em altos níveis de gasto energético, e por isso necessitam acumular um grande período de atividade durante a semana para efetivamente perder gordura.

O exercício é importante para conseguir o efeito de perda de gordura, porém, como já foi dito, é importante que seja sempre associado à um dieta adequada e com acompanhamento profissional.


Seja o primeiro a comentar em Obesidade, o mal do século 21!

Deixe seu comentário: