Postado em:
05 fev, 2014

As principais teorias das conspirações em Copas do Mundo!

No ano passado, logo após o sorteio que definiu os grupos da primeira fase da Copa Mundo, muita gente achou que houve manipulação na formação das chaves. Foi feito até um vídeo que tentou provar a suposta fraude do sorteio e que já teve cerca de 9,5 milhões de visualizações no Youtube. Não foi a primeira vez que uma Copa do Mundo foi alvo de uma teoria da conspiração. Mas é lógico, depois de tantas edições, como não tentar encontrar explicações para acontecimentos absurdos (como a inexplicável derrota do Brasil para a França em 1998)? Conheça agora as melhores teorias conspiratórias na história da Copa do Mundo!

ngfd

Final de 1998 vendida

Já que tocamos nesse assunto, vamos começar por ele. A derrota vergonhosa do Brasil para a França na final da Copa de 1998 deixou muita gente com a pulga atrás da orelha. Como explicar a péssima atuação de uma seleção que vinha bem até aquele momento? Ninguém engoliu a história da convulsão de Ronaldo na véspera do jogo! Muita gente acredita que a partida foi entregue e que até a CBF estaria envolvida no esquema. Teorias não faltaram para explicar o inexplicável: o jogo foi vendido; Ronaldo teria sido envenenado; Brasil teria aberto mão do título para sediar uma das Copas seguintes… Escolha a sua versão!

Maradona dopado

O mais famoso jogador argentino sempre esteve envolvido com polêmicas. Em 1994, Maradona foi pego no teste antidoping pelo uso de efedrina e por isso foi expulso da competição. Ele garante que estava limpo e que tudo aquilo era perseguição da Fifa. Outra teoria defende que o doping na verdade fazia parte de um tratamento para que o atleta pudesse competir e, assim, ajudasse a promover o futebol nos EUA. Por isso, teria acontecido sob conhecimento da Fifa. Mas aí o jogador teria começado a mandar bem demais e incomodado a entidade.

Alemanha entrega jogo

Em 1974, em plena Guerra Fria, a Alemanha Ocidental já estava classificada para a segunda fase. E ninguém entendeu como a forte seleção havia perdido para a fraca Alemanha Oriental no último jogo. A suspeita é de que a Alemanha Ocidental queria fugir de Holanda, Argentina e Brasil e ficar ao lado de Suécia, Iugoslávia e Polônia.

Mussolini mandando na Copa

Em 1934, a Itália sediou a Copa do Mundo. Na época, o ditador Benito Mussolini estava no poder e, segundo se diz por aí, teria interesses políticos na competição: a vitória da seleção italiana fortaleceria o regime fascista. O governante foi acusado de interferir na escolha dos árbitros das partidas a serem jogadas pelos italianos e isso teria favorecido a seleção anfitriã.

Anfitriã favorecida em 1966

Anfitriã da Copa de 1966, a Inglaterra venceu a competição com um gol ilegal na partida contra a Alemanha Ocidental. Muitos acreditam que a seleção inglesa foi favorecida durante toda a competição. Para alimentar ainda mais as suspeitas, nas quartas de final, um árbitro inglês apitou o jogo da Alemanha Ocidental, enquanto um alemão arbitrou o jogo dos ingleses. Ambos os times avançaram para a etapa seguinte após arbitragens muito polêmicas.

A favor da Coreia do Sul

Em 2002, a fraca Coreia do Sul ganhou dois jogos com arbitragens bastante confusas. Nas oitavas de final, a anfitriã venceu a favorita Itália depois que o juiz equatoriano expulsou um importante jogador italiano e ainda anulou um gol legal da squadra azzurra. Segundo a imprensa italiana, esse juiz teria passado férias em Miami com tudo pago. Os coreanos também foram beneficiados nas quartas de final e derrotaram a Espanha. Tudo bem que azarões existem, mas isso foi no mínimo esquisito!

A não punição de Garrincha

Em 1962, Garrincha, o grande nome da seleção brasileira nessa Copa, foi expulso pelo bandeirinha na semifinal. No dia do julgamento que decidiria sobre sua participação ou não na final, o árbitro simplesmente não apareceu e o jogador brasileiro não foi punido com a suspensão. Histórias que circulam por aí defendem que o bandeirinha foi subornado por dirigentes brasileiros.

Boa noite Cinderela no Branco

Essa é uma daquelas histórias que parecem ter sido verdade. Em 1990, na partida Brasil-Argentina, o lateral Branco bebeu água dos adversários e depois se sentiu sonolento. O Brasil acabou perdendo a partida. Anos depois, Maradona confessou que a água de fato havia sido batizada.

Peru entregou o jogo

Em 1978, a segunda fase da Copa do Mundo não era de mata-mata, ou seja, de confronto direto, mas por pontuação. Brasil e Argentina caíram no mesmo grupo e estavam empatadas no primeiro lugar. A decisão ficou para o último jogo e a seleção Canarinho dependia da partida entre Argentina e Peru para se classificar para a final. Acontece que os argentinos venceram por incríveis 6 x 0, passando para a decisão, e até hoje há quem diga que a partida foi comprada e que o Peru entregou o jogo. Os brasileiros tiveram que se contentar com a disputa pelo terceiro lugar – que acabou sendo conquistado.

Brasil não podia ser hexacampeão em 2006

Essa teoria era do jornalista Juca Kfouri. Nas vésperas da competição de 2006, Kfouri escreveu um texto dizendo que havia grandes chances de que os árbitros jogassem contra a seleção brasileira naquela competição, para que não fôssemos campeões. Isso porque não era de interesse da Fifa o hexacampeonato, pois fortaleceria a candidatura de Ricardo Teixeira à presidência da entidade em 2007. Na época, Joseph Blatter ocupava este posto e ele e o cartola brasileiro não se bicavam. Além disso, um suposto hexa poderia levar logo ao octa, o que deixaria a Copa do Mundo sem graça para os demais países. Se é verdade, não sabemos, mas o fato é que até hoje estamos empacados no penta.

E esse ano, será que teremos mais alguma polêmica a pairar sobre a competição?


Seja o primeiro a comentar em As principais teorias das conspirações em Copas do Mundo!

Deixe seu comentário: